top of page

Inteligência Artificial Generativa na Educação: Três Decisões Essenciais para Gestores em 2024

George Stein, Diretor Fundador da Pedagog.IA - Inovação em Aprendizagem.


A revolução da inteligência artificial em 2023 começou com a disponibilização ampla de um aplicativo para o público em geral. Há um ano, o ChatGPT iniciou esta revolução, seguido por milhares de aplicativos e programas capazes de gerar diversos tipos de conteúdo a partir de comandos em linguagem natural. Esta tecnologia transforma radicalmente a forma como interagimos com o conhecimento acumulado e registrado digitalmente, e no contexto escolar, já é possível obter respostas e gerar imagens e textos de diversos gêneros e formatos relacionados a qualquer conteúdo da Educação Básica.

 

Entretanto, é crucial reconhecer os limites e riscos dessa tecnologia. As respostas nem sempre são precisas, mesmo sendo convincentes, e a consistência varia quando duas pessoas fazem a mesma pergunta. Além disso, a disponibilidade gratuita para discentes e docentes, independentemente das diretrizes institucionais, aumenta a urgência de ações nas escolas. Se, por um lado existe oportunidade de se desenvolver e compartilhar novas práticas de ensino e aprendizagem, por outro lado há o risco de matérias e atividades com erros de conteúdo ou ainda plágio e atividades escolares não desenvolvidas pelos alunos.

 

Enquanto 2023 foi marcado por curiosidade e experimentação, 2024 promete uma abordagem mais estruturada. Com a consolidação da inteligência artificial generativa, gestores escolares enfrentam decisões cruciais. Além do ChatGPT, já existem pelo menos seis aplicativos similares, e a consultoria Gartner Group prevê que mais de 80% das grandes empresas usarão essa tecnologia até 2026. Pesquisas atuais no mercado de trabalho já indicam que o uso de inteligência artificial generativa pode gerar melhores resultados e de maneira mais rápida: em um estudo da Universidade de Harvard com a consultoria BCG identificou-se resultados 40% melhores e um tempo 25% menor para em atividades relacionadas ao uso do conhecimento em consultoria, com inteligência artificial generativa.

 

Na Educação, a grande oferta de aplicativos específicos e o surgimento de tutores digitais inteligentes indica mudanças significativas. A oferta crescente de plataformas com tutores digitais para tirar dúvidas e direcionar o raciocínio sugere uma revolução no ensino. As atividades educacionais e os profissionais envolvidos na Educação deverão passar por mudanças práticas reais nos próximos. No que diz respeito às instituições, é hora de os gestores escolares incluírem a inteligência artificial generativa em suas decisões para 2024.

 

No entanto, diante da diversidade de escolas quanto às suas comunidades escolares, desafios e prioridades, é essencial abordar três áreas de decisão cruciais quanto à inteligência artificial generativa:

 

 

 

1. A Relevância para a Missão Escolar:

Antes de agir, as escolas devem reavaliar sua missão, entendendo como a inteligência artificial generativa se alinha ao desenvolvimento de cidadãos éticos e críticos. Como essa tecnologia moldará o perfil dos alunos desejados? Ou, de maneira mais específica, como a escola percebe a necessidade de incorporar a nova tecnologia na sua proposta pedagógica?

 

2. Integração no Currículo:

A inteligência artificial generativa não deve ser apenas conteúdo, mas uma experiência. As escolas precisam proporcionar aprendizado sobre, com e para a inteligência artificial generativa, instruindo sobre seus benefícios, limitações e riscos; proporcionando aprendizado com experiências práticas de uso da tecnologia e preparando os alunos para seu uso futuro. É necessário decidir como as experiências com a nova tecnologia serão ofertadas de maneira coerente e abrangente.

 

3. Desenvolvimento Institucional e Profissional:

A transformação institucional só será eficaz se houver desenvolvimento profissional para todos os envolvidos. Professores e gestores desempenham papéis cruciais, sendo necessário integrar os desafios educacionais às funcionalidades da nova tecnologia. A Pedagogia de Prompt (http://tinyurl.com/PedagogiadePrompt) é essencial nesse contexto para direcionar como a inteligência artificial generativa será integrada nos processos institucionais com foco na melhoria da aprendizagem dos alunos. O direcionamento de um plano de desenvolvimento profissional é crucial para iniciar e viabilizar a transformação institucional. Esta por sua vez deve ser estruturada considerando a necessidade de uma aprendizagem contínua e de um processo de inovação que dê conta da velocidade das inovações que estão por vir.

 

Contudo, a transformação da escola não pode negligenciar a educação integral. Desenvolver aspectos sociais, emocionais, físicos e culturais, além dos cognitivos, é vital para criar cidadãos preparados para prosperar na sociedade atual e futura. Em 2024, a inteligência artificial generativa promete ser mais do que uma inovação; será um caminho para o futuro da educação.

 


George Stein, Diretor Fundador da Pedagog.IA - Inovação em Aprendizagem.

Explore mais sobre como abordar os três aspectos acima e como percorrer a jornada de transformação da sua escola no GEduc 2024.





164 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page