top of page

Obstinação na inovação: quando a inteligência artificial se encontra com a humana

A Inteligência Artificial é uma criação humana e não ultrapassa a inteligência dos homens, principalmente quando envolve pensamento criativo, crítico e capacidade de reflexão

 

Não foi à toa que o dicionário inglês Collins classificou “inteligência artificial” como o termo mais notável de 2023.  Por mais que já façam parte do nosso dia a dia há muito tempo, muitas vezes sem nem mesmo notarmos, as IAs, especialmente as generativas, foram a grande discussão do último ano e adentraram a rotina dos usuários da internet.

 

Segundo Gil Giardelli, professor e conferencista, membro da Federação Mundial de Estudos do Futuro e da World Future Society, a Inteligência Artificial vem tornando modelos mentais de negócios desatualizados e obsoletos e é necessário aprender com as inovações que estão chegando no mercado. “Como sociedade, não preparamos as pessoas para a nova era, para essa nova economia com novos empregos. No futuro, instituições, empresas e mesmo países que não entenderem essa nova fase terão muita dificuldade em seus novos passos”, explica ele, também fundador da Gaia Creative 5era, que aplica inteligência de comunicação digital, economia colaborativa, gestão do conhecimento e inovação para empresas e instituições.

 

Como exemplo destes novos modelos de negócios, ele cita a Kendall Square, um bairro em  Cambridge, Massachusetts, nos Estados Unidos, que está sendo chamado de “o metro quadrado mais inovador do mundo” por sua alta concentração de startups de inovação e de tecnologia.




 

As novas pesquisas sobre IA

Machine learning, deep learning, neural networks, PLN são alguns termos que vêm aparecendo muito e configuram o futuro da Inteligência Artificial. Confira o que eles significam:

 

●       Machine Learning

○        Traduzido como “aprendizado de máquinas”, é a área da ciência da computação que utiliza dados e algoritmos para imitar o modo como os humanos pensam.

 

●       Deep learning

○        Um conceito do machine learning que significa “aprendizagem profunda” e configura grandes quantidades de dados que são incorporados pela IA a partir de camadas de redes neurais artificiais. É utilizado para reconhecimento de objetos e mesmo reconhecimento facial.

 

●       Neural Networks

○        As “redes neurais” também são um conceito do machine learning e dizem respeito às camadas que imitam o funcionamento de neurônios humanos, enviando sinais uns para os outros e contando com treinamentos para melhorarem a eficiência ao longo do tempo.


●       PLN

○        Processamento de Linguagem Natural (PLN) é uma evolução do processo de entendimento das Inteligências Artificiais, utilizado para compreensão, interpretação e manipulação da linguagem humana, buscando aproximar a conversação entre humanos e máquinas.

 

Quando a Inteligência Artificial encontra a inteligência humana

A IA generativa, popularizada pelo ChatGPT e pelos geradores de imagem que dominaram a internet no último ano, é diferente da que já estávamos familiarizados, que realizava tarefas básicas. Essa Inteligência Artificial aprende conforme vai sendo utilizada e suas redes neurais funcionam como uma imitação dos neurônios humanos. Por isso, quase todos os sistemas desse tipo excedem a inteligência humana, mas apenas no nicho dentro do qual é programado.

 

Como humanos, a IA precisa ser ensinada sobre novas estratégias, especialmente se for fora de sua área de atuação, e não ultrapassam a inteligência humana quando são necessários saberes amplos e interdisciplinares. Além disso, as IAs precisam de dados e de instruções específicas até mesmo para adquirirem novos conhecimentos e, ao contrário dos seres humanos, não aprendem com seus erros. É possível que dados e treinamento contínuo ajudem o aprendizado da máquina, mas mesmo imitando um sistema nervoso, não é possível reproduzir o processo de pensamento exclusivo dos humanos.

 

Embora a Inteligência Artificial pareça cada vez mais humana, ela possui limitações em assuntos abstratos, especialmente relacionados à criatividade. Escrever, criar obras de arte e habilidades que precisam de sensibilidade e noção de seus arredores e de si mesmo são tarefas difíceis para IAs, pois não se apoiam em lógica e processos repetitivos e o resultado sempre será um pouco “robótico”.

 




Gil Giardelli falará sobre o tema “Obstinação na inovação: quando a inteligência artificial se encontra com a inteligência humana” no GEduc 2024.



O GEduc é o maior Congresso de Gestão Educacional do país. Realizado pela HUMUS, empresa que desenvolve capacitações para gestores de universidades e escolas, o evento reunirá mais de 80 palestrantes e conteúdos inovadores para discutir o tema “Educação por essência: construindo trajetórias”. Serão três dias – de 03 a 05/04 – de imersão às novidades e tendências da área educacional. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo link.




15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page